A vida não é um problema a ser resolvido e sim um mistério a ser experimentado".(Joseph Campbell)

sábado, 3 de março de 2012

VAMPIROS: O CLÃ NOSFERATU

Bem, vocês já devem ter notado que eu curto muito qualquer assunto sobre vampiros... por que? Não sei! Simplesmente gosto, acho que pelo mistério que envolve tudo isso... Viajando pela net encontrei esse texto muito ótimo sobre o Clã Nosferatu. Confira abaixo:
                                    Ele é bem feinho, né?


Os filhos de Caine são apelidados de "Os Condenados", e ninguém encarna mais neste papel que os miseraveís Nosferatu. Os Nosferatu carregam consigo uma antiga e terrivél maldição, pois ja não são feitos á imagem de Deus; a transformação vampirica, deformou-lhes o corpo, transformando-os em abominações aos olhos dos homens e dos anjos. Marginalizado pela sociedade dos mortais e dos vampiros, estes seres deformados assombram as catacumbas e todos os tipos de lugares escuros e desertos.


Os Nosferatu raramente confraternizavam com os mortais, mas ficaram enraizados na sociedade dos humanos como monstros. Outros vampiros, com medo dos roubos dos Nosferatu aos seus clãs, levaram estas criaturas a procurar abrigo em lugares baldios, longe das sociedades. Este exilio forçado, combinado com a repulsão intrinseca que a sua aparência inspirava, tornou-os no perfeito bode expiatório para tudo o que não tinham explicação, real ou imaginário. Esta malvada (e nada merecida) reputação forçou os Nosferatus a estarem para sempre em movimento, sempre escondidos, sem poderem descansar devido ao medo da exterminação.



Aparência: Cada Nosferatu é único, sendo cada um mais repugnante que o outro. As suas deformidades são tão exageradas como grotescas. Alguns tem aspecto de um corpo em decomposição, sem narizes e orelhas; outros aparentam-se com demônios ou roedores vorazes. Muitos perdem o cabelo e deixam cresçer inchaços e verrugas como os sapos. Alguns tem uma pele gordurosa e enrugada, outros horrivelmente não tem pele, parecendo-se como porcos esfolados num mercado. Um cheiro pestilento circunda os Nosferatus, atraindo muitas das vez pragas de moscas e de gafanhotos. Em todos os Nosferatu, a falta de higiene é evidente. Num esforço para esconder a sua vergonha (e evitar os caçadores de bruxas), muitos dos Nosferatu encobrem-se numa especie de sarapilheira.


Abrigos: Os Nosferatus assombram sítios abandonados e pestilentos, de preferência ruínas, pântanos, florestas ou zonas infectadas por pragas. Nas cidades, tendem a habitar catacumbas antigas, leprosárias, masmorras e casas baratas fora dos limites da cidade. Os grandes montes de estrume comuns as cidades da época medieval, serviam de abrigo diurno (e era mesmo muito pouco provavél que mesmo o mais zeloso caçador de bruxas, fosse escavar um monte de estrume á procura de um vampiro adormecido).


Antecedentes: Os Nosferatu escolhem as suas vítimas da mais baixa classe da sociedade: idiotas, leprosos, ermitas, criminosos e vagabundos. Os Nosferatu na caminhada para o céu, muitas vezes castigam os orgulhosos, hipócritas e outros pecadores, forçando-os a entrar no clã. Os Judeus eram os favoritos, pois muitas das vezes eram inteligentes e práticos, mas não tinham proteção contra os vampiros. Ocasionalmente, um Nosferatu indignado, escolhe uma belas vítima para a tornar monstrousa, mas hoje em dia esta pratica já não é tão comum.


Personalidade: A maioria dos Nosferatu tem a ideologia de um pedinte ou de um estranho a uma sociedade. Os atributos físicos e os talentos são geralmente essênciais, pois têm de ser rápidos, espertos e tem de estar preparados para sobreviver com as suas inumeras privações. Raramente tem aliados, contatos, servidores ou qualquer outra coisa que os ligue ao mundo dos mortais. Apesar de tudo, o raro humano que ajudar um Nosferatu, terá um amigo para a vida (e para a dos seus filhos, netos.... ). O caminho para o céu é comum entre os Nosferatu, seguido de perto pelo caminho da besta. Muitos Nosferatu rejeitam o caminho da humanidade, não se considerando dignos dela


Fonte: Clãs de vampiros 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário